Contabilidade geral prova 2

INFO
STADISTICS
RECORDS
Title of test:
Contabilidade geral prova 2

Description:
cap 3, 4 ,5

Author:
AVATAR

Creation Date:
05/09/2017

Category:
Others
Click 'LIKE' to follow the bests test of daypo at facebook
Last comments:
No comments about this test.
Make a comment?
Login at daypo to comment the test.
Content:
1- Os recursos principais, “carro chefe” dos governos, são os tributos, exigidos com a finalidade de realizar gastos objetivando o bem-estar da população e o desenvolvimento do Estado. VERDADEIRO FALSO.
2- são aumentos nos benefícios econômicos durante o período contábil sob a forma de entrada de recursos ou aumento de ativos ou diminuição de passivos, que resultem em aumento do patrimônio líquido Receitas Despesa Formulas Tributos.
3- sob a ótica contábil, para fins de estudo do patrimônio, quando o fato administrativo acarreta acréscimo no patrimônio liquido Receitas Despesa contas Tributos.
4- NO BRASIL qual as principais fontes de recursos financeiro do Estado TRIBUTOS JBS OFERNDAS EXPORTAÇÃO DE MATERIA PRIMA.
5- Despesa, para fins de registro das transações pela Contabilidade Pública, ocorre quando há ingresso de recursos financeiro, qualquer que seja. FALSO VERDADEIRO.
6- A Contabilidade Pública classifica como receita qualquer ingresso de recurso financeiro VERDADEIRO FALSO.
7- A classificação econômica divide as receitas em dois principais grupos: Receitas Correntes e Receitas de Capital. Receitas de Capita e Receitas municipios. Receitas federal e Receitas de Capital. Receitas ativas e Receitas de Capital.
8- é uma receita gerada exclusivamente em virtude de uma mutação, Receita por mutação patrimonial Receita Corrente Receita de Capital Receita por transformação.
9- Uma alteração nos elementos patrimoniais, resultando no ingresso do recurso financeiro. Ocorre devido à saída ou à baixa de um ativo, de bens ou direitos (venda de um imóvel, recebimento de um empréstimo concedido etc.) Receita por mutação patrimonial Receita Corrente Receita de Capital Receita por transformação.
10- são principalmente obtidas por mutação patrimonial Receita por mutação patrimonial Receita Corrente Receita de Capital Receita por transformação.
11- São obtidas principalmente através da atividade empresarial do Estado (receitas originárias) ou através de seu poder coercitivo (receitas derivadas). Receita por mutação patrimonial Receita Correntes Receita de Capital Receita por transformação.
12- São receitas tributárias, de contribuições, patrimonial, agropecuária, industrial, de serviços e outras Receita por mutação patrimonial Receita Correntes Receita de Capital Receita extraordinária .
13- São as receitas provenientes da realização de recursos financeiros oriundos de constituição de dívidas; da conversão, em espécie, de bens e direitos; recursos recebidos de outras pessoas de Direito Público ou Privado Receita por mutação patrimonial Receita Correntes Receita de Capital Receita ordinária .
14- São aquelas COM características de continuidade, que são comum e uniformementes arrecadas Receita ordinárias Receita Correntes Receita de Capital Receita extraordinária .
15- São aquelas SEM características de continuidade, representando ingresso de caráter esporádico e atípico. Receita ordinárias Receita Correntes Receita de Capital Receita extraordinária .
16- As etapas, também conhecidas como estágios ou fases da receita pública, demonstram o caminho percorrido pela receita no seu processo de gestão. verdadeiro falso.
17- Quais as etapas, também conhecidas como estágios ou fases da receita pública Lançamento, Arrecadação, Recolhimento planejamento, execução planejamento, Lançamento, empenho fase 1, fase 2, fase 3, .
18- O planejamento orçamentário é materializado na Lei Orçamentária Anual – LOA verdadeiro falso.
19- A etapa que compreende a previsão de arrecadação da receita orçamentária. Planejamento EXECUÇÃO Lançamento Recebimento.
20- é o valor a ser projetado para uma determinada receita, de forma mensal, objetivando atender a execução orçamentária, cuja programação é feita mensalmente. Planejamento Projeção de receitas Base de cálculo mesada.
21- No Brasil, o planejamento para arrecadação de receitas e realização de despesas públicas não é obrigatório falso verdadeiro.
22- obtida por meio da série histórica de arrecadação da receita, e dependerá do seu comportamento mensal. Planejamento Projeção de receitas Base de cálculo mesada.
23- é o índice que fornece a variação media dos preços de uma determinada cesta de produtos. índices futuros índices de quantidade Base de cálculo Índice de preços.
24- é o índice que fornece a variação media na quantidade de bens de um determinado seguimento da economia. índices futuros índices de quantidade Base de cálculo Índice de preços.
25- Está relacionado à variação física de um determinado fator de produção. Como exemplos, podemos citar o Produto Interno Bruto Real do Brasil – PIB real; o crescimento real das importações ou das exportações índices futuros índices de quantidade Base de cálculo Índice de preços.
26- é a ETAPA em que há três fases da receita orçamentária: 1) Lançamento 2) Arrecadação 3) Recolhimento . (Dica LAR) Planejamento Execução Lançamento Mordida do leão.
27- consiste no procedimento administrativo onde se verifica a procedência do credito fiscal Lançamento Recolhimento Arrecadação Mordida do leão.
28- ocorre no momento em que o contribuinte ou devedor efetua o pagamento. Lançamento Recolhimento Arrecadação Mordida do leão.
29- ocorre no momento em que o agente arrecadador transfere o recurso ao ENTE. Lançamento RecolhimENTE Arrecadação Mordida do leão.
30- É nessa fase que a receita orçamentária é reconhecida. Lançamento Recolhimento Arrecadação Declaração orçamentária .
31- é a ETAPA em que há o reconhecimento da receita e seu efetivo recolhimento aos cofres públicos. Planejamento Execução Lançamento Mordida do leão.
32- o principio da UNIDADE DE CAIIXA, representado pelo controle centralizado dos recursos arrecadados em cada ente da Federação. verdadire falso.
33- alguma diminuição do valor arrecadado RECEITA DE CAPITAL DEDUÇÕES E RESTITUIÇÕES DE RECEITA Lançamento DESPESA PÚBLICA.
1- São formas de deduções da Receita: (4) Restituições –onde o exemplo mais contundente é o IR. Devolução de Saldo de Convênios e contratos ICMS Retificações Recursos arrecadados por um ente Recolhimento da receita arrecadação de cada mês.
34- Na união a tarefa de consolidar as propostas orçamentárias dos Poderes, é exercida : Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão Ministério da finanças Ministério da Casa Civil Ministério do Orçamento Público.
35- o orçamento público possui duas faces de uma mesma moeda. Pode-se dizer que essas faces são: receita e despesa CARA E COROA ativo e passivo arrecadação e tributação.
36- SOB O ASPECTO ECONÔMICO AS DESPESAS PUBLICAS SE DIVIDEM EM : receita e despesa receita de capital e receita corrente despesa de capital e despesa corrente receita de capital e despesa corrente.
37-A CONTABILIDADE PÚBLICA classifica como quaisquer desembolsos financeiros, independente se modifiquem negativamente o patrimônio liquido. despesa receita deduções restituições.
38- Para fins de controle e execução do orçamento público, ocorre quando credito orçamentário é utilizado. Portanto, no momento do empenho da despesa. Despesa sob o enfoque patrimonial Despesa sob o enfoque Orçamentário Receita Orçamentária Despesa Extraorçamentária.
39- é a despesa decorrente da execução do orçamento público em curso, podendo estar autorizada na Lei do Orçamento Anual originalmente sancionada ou em leis específicas que modificam esse orçamento. Despesa sob o enfoque patrimonial Despesa sob o enfoque Orçamentário Despesa Orçamentária Despesa Extraorçamentária.
40- é a despesa que NÃO consta na Lei Orçamentária Anual em curso nem em leis especificas que tratam desse orçamento Despesa sob o enfoque patrimonial Despesa sob o enfoque Orçamentário Despesa Orçamentária Despesa Extraorçamentária.
41- é aquela que depende de autorização orçamentária para ser realizada Despesa resultante da Execução Orçamentária Despesa Independente da Execução Orçamentária Despesa Orçamentária Despesa Extraorçamentária.
42- é aquela que independe de autorização orçamentária para sua execução Despesa resultante da Execução Orçamentária Despesa Independente da Execução Orçamentária Despesa Orçamentária Despesa Extraorçamentária.
43- Aquela que, no momento da sua realização, REDUZ a situação líquida patrimonial da entidade. Despesa efetiva Despesa Independente da Execução Orçamentária Despesa Não Efetiva Despesa Extraorçamentária.
44- Aquela que, no momento da sua realização, NÃO REDUZ a situação líquida patrimonial da entidade e constitui apenas um fato contábil permutativo. Despesa efetiva Despesa Independente da Execução Orçamentária Despesa Não Efetiva Despesa Extraorçamentária.
45- Tem caráter não financeiro, compondo o calculo do resultado primário. Exemplos: pessoal e encargos sociais, despesa de custeio Despesa efetiva Despesa financeira (Não Primária) Despesa Não Efetiva Despesa Primária.
46- Tem caráter financeiro, não compondo o cálculo do resultado primário, tais como, por exemplo, despesas com juros e amortizações da divida interna e externa Despesa efetiva Despesa financeira (Não Primária) Despesa Não Efetiva Despesa Primária.
47- Quanto à entidade que apropria a despesa: Primária X Financeira Pública X Privada Efetiva X Não Efetiva Resultante X independente da Execução Orçamentária .
48- Tem por finalidade identificar o efeito econômico da realização da despesa, ou seja, evidencia como os gastos foram realizados, se o Governo realizou investimentos, construiu bens públicos, despesas de custeio, pagamento de juros etc. A classificação da despesa em categorias econômicas A classificação da receite em categorias econômicas Fixação da despesas índice de quantidade.
49- Classificam-se nessa categoria todas as despesas que NÃO contribuem, diretamente, para a formação ou AQUISIÇÃOo de um bem de CAPITAL. Despesa Primária receita de capital despesa de capital despesa corrente.
50- Classificam-se nessa categoria todas as despesas que contribuem, diretamente, para a formação ou AQUISIÇÃO de um bem de CAPITAL. Despesa Primária receita de capital despesa de capital despesa corrente.
51- Pode-se dizer que são despesas geradas pelo incremento do patrimônio permanente ou pela amortização de dividas Despesa Primária receita de capital despesa de capital despesa corrente.
52- Pode-se dizer que são despesas necessárias para movimentar a maquina administrativa do estado Despesa Primária DESPESAS PRIVADS despesa de capital despesa corrente.
53- são aquelas que contribuem, diretamente, para a formação ou aquisição de um bem de capital. Normalmente, (não é sempre), coincide com a despesa não efetiva. Despesa Primária DESPESAS PRIVADS despesa de capital despesa corrente.
54- fixação de despesa, descentralizações de credito orçamentaria, programação orçamentaria e financeira, estão em qual etapa (fase) da despesa pública? Planejamento Execução Controle Despesa Primaria .
55- Empenho, liquidação, e pagamento, este estágios são de qual etapa (fase) da despesa pública? Planejamento Execução Controle fixação da despesa.
56- O Plano Plurianual – PPA, a Lei Diretrizes Orçamentárias – LDO e a Lei Orçamentária Anual – LOA, São: São instrumentos de planejamento governamental São instrumentos de regulação governamental São normas pra gerir a maquina governamental São normas passadas para os gestores da união.
57- Em obediência ao Principio do Equilíbrio Orçamentário, as despesas nunca poderão suplantar as receitas. fixação de despesa descentralizações de credito orçamentaria programação orçamentaria e financeira liquidação.
58- Depois de aprovada a LOA pelo poder Legislativo, sancionada pelo chefe do Executivo e adotados os procedimentos da SOF, a despesa orçamentária estará finalmente fixada.É preciso agora efetuar o movimento dos créditos para fins de atender as demandas públicas. fixação de despesa descentralizações de credito orçamentaria programação orçamentaria e financeira liquidação.
59- é planejar orçamentária e financeiramente a execução de despesa, tendo como base os fluxos de pagamento e recebimento. fixação de despesa descentralizações de credito orçamentaria programação orçamentaria e financeira liquidação.
60- é efetuada após a aprovação da LOA. Como também reavaliada e modificada ao longo de todo o exercício financeiro, na medida em que o orçamento é executado. fixação de despesa descentralizações de credito orçamentaria programação orçamentaria e financeira liquidação.
61- se caracteriza como o momento em que o fornecedor cumpre com sua obrigação (prestando o serviço, entregando ou construindo o bem para o qual foi contratado), ou quando se verifica implementada alguma condição prevista em lei, criando assim a obrigação para o Estado de efetuar o pagamento para terceiros. empenho descentralizações de credito orçamentaria pagamento liquidação.
62- É exatamente o momento em que o estado utiliza os recurso orçamentários recebidos, pois contratou bens ou serviços com terceiros, devendo indicar nesta fase quem será favorecido do pagamento futuro. empenho descentralizações de credito orçamentaria pagamento liquidação.
63- Créditos orçamentários são autorizações para que se possam realizar as receitas públicas, ou seja, são recursos orçamentários. falso verdadeiro.
64- são instrumentos de ajustes orçamentários, que visam à correção de desvios no planejamento da Lei Orçamentária, o que torna a execução do orçamento mais flexível, pois permite a modificação dos limites de despesas inicialmente fixadas. créditos adicionais receitas de correntes Fixação da Despesa Despesa de Capital.
65- Quem AUTORIZA a execução orçamentária no Brasil ? Legislativo Execultivo judiciário presidiário .
Indique os três tipos de créditos orçamentários adicionais: Suplementares Extraordinários Especiais operacionais somatórios pre gastos.
66- é o procedimento utilizado pela Administração Pública que consiste na entrega de dinheiro a um servidor para eventuais pequenas despesas que exigem pronto pagamento. créditos orçamentários adicionais Suprimento de fundos Pagamento empenho.
67- refere-se a valores a receber, créditos a favo do ente estatal que não foram cumpridos pelos devedores nos prazos estipulados. São dividas de terceiros perante a Fazenda Pública, não quitadas no prazo devido. créditos orçamentários adicionais Dívida ativa Pagamento empenho.
68- Como pode ser evidenciar e mensurar capacidade de investimento do Estados? classificação econômica indeci de trabalho do Estado pela governabilidade pelos aliados do executivo no CN.
INDIQUE OS ÍNDICES DE PREÇOS NACIONAIS OU REGIONAIS: (4) IGP DI INPC IPCA IPTU IPVA ICMS PIB.
Quem divulga os índices de preço ? IBGE FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS BANCO CENTRAL FUNAI RÁDIOS REGIONAIS JORNAL NACIONAL (JN).
69- É Exemplo de índice de quantidade? produto interno bruto (PIB) TAXA SELIC 8,25% IPCA IPVA.
ASSOCIE: Despesa p/ a contabilidade publica Despesa sob enfoque patrimonial Despesa sob enfoque orcamentario.
ASSOCIE: Receita p/ a contabilidade publica Receita sob enfoque patrimonial Receita sob enfoque orcamentario.
70- Evidencia como os gastos foram realizados? classificação da despesa em categorias econômicas classificação da receita OPERAÇÃO LAVA JATO NOTA FISCAL OU NOTA DE SERVIÇO.
Report abuse Terms of use
We use cookies to personalize your experience. If you continue browsing you will be accepting its use. More information.