Desenvolvimento de Aplicações Web com Frameworks

INFO
STADISTICS
RECORDS
Title of test:
Desenvolvimento de Aplicações Web com Frameworks

Description:
Estudo Especialização Desenvolvimento de aplicações web

Author:
AVATAR

Creation Date:
13/05/2015

Category:
Computers
Click 'LIKE' to follow the bests test of daypo at facebook
Last comments
No comments about this test.
Content:
Considere a estrutura arquitetural de uma aplicação Web genérica a seguir: Na figura, o quadro da esquerda representa a subrede do cliente, enquanto o quadro da direita representa a subrede do servidor Web. Nesta arquitetura, uma das vantagens do componente Proxy com cache no lado do cliente é Escolha uma: reduzir a carga no servidor. o balanceamento da carga entre os servidores Web. aumento da disponibilidade do servidor. encapsulamento do protocolo de comunicação..
No modelo MVC, o Controller é responsável pelo estágio de Escolha uma: validação de formato de dados entrados pelo usuário. encapsulamento objetos de conteúdo. tratamento de erros da execução de um método de ação. disponibilização de serviços web.
Considere a arquitetura do Apache Shiro a seguir. Mesmo sem um conhecimento específico do modelo arquitetural e do funcionamento deste pacote, podemos dizer que o Apache Shiro Escolha uma: encapsula a comunicação com servidores de bancos de dados, substituindo o Model na arquitetura MVC. provê uma API de segurança que pode ser incorporada a aplicações de duas camadas ou multicamadas. implementa o componente Cryptography em uma camada física separada dos demais componentes do Framework. provê mecanismo de cache no cliente para reduzir latência e aumentar disponibilidade.
Um dos benefícios da arquitetura em três camadas é que Escolha uma: a apresentação dos dados se torna independente de plataforma e de dispositivo. resultam em clientes e servidores de bancos de dados mais leves. ocorre um aumento na performance do processamento de consultas SQL, com a separação entre dados e aplicação. novos módulos podem ser incorporados para atender a mudanças nas regras de negócio, sem alterar a interface com o usuário.
Uma arquitetura web formada por múltiplos componentes que representam uma única lógica do negócio e podem ser disponibilizados e encontrados dinamicamente é a arquitetura Escolha uma Cliente-servidor. Multicamadas. Web applets Orientada a serviços.
De acordo com o artigo Iwan Vosloo and Derrick G. Kourie. 2008. Server-centric Web frameworks: An overview. ACM Compututing Survey 40, 2, Article 4 (May 2008), 33 pages. DOI=10.1145/1348246.1348247 http://doi.acm.org/10.1145/1348246.1348247, podemos dizer que uma abordagem centrada na View é a abordagem de Escolha uma: templates executáveis, onde um template acessado através de uma URL executa um processamento e retorna um documento resultante. Em resposta modelos de ouvintes de eventos (event listener), onde classes ouvintes de eventos proveem uma estrutura para tratamento de eventos da aplicação e podem ser estendidas para responder a eventos de interface específicos. centrada em fluxo de página (page-flow), onde uma UI é composta por diferentes páginas cujo fluxo e forma de composição são definidas por uma notação explícita do framework. biblioteca de componentes, onde o framework disponibiliza uma biblioteca padronizada de componentes de interface que permitem a composição de páginas de forma abstrata, sem depender da linguagem de marcação.
No framework Spring Escolha uma: o container central implementa o framework MVC, entre outros padrões de projeto. o módulo de aspectos é baseado no AspectJ e produz classes a partir da junção de código. é possível se utilizar a API do Java Messaging System para implementar serviços web assíncronos. o acesso a dados é feito a partir de componentes de persistência presentes no servidor de aplicação.
O Spring webmvc não suporta Escolha uma: a utilização da arquitetura orientada a serviços baseada em REST. a criação de portais baseados em Servlets com uma API específica. implementação do padrão de projeto Facade. a implementação do padrão de projeto Facade.
No ASP.NET MVC, entre as componentes das View engines podemos dizer que Escolha uma: o Razor Engine permite a utilização de server componentes do web form para compor páginas HTML. os razor codes incorporam a lógica do programa em master templates. os HTML helpers permitem gerar HTML dinâmico a partir de dados de modelo e padrões de componentes HTML as Views são acessadas a partir de seu nome, que, por default, deve ter o mesmo nome do Controller que a chamou.
Sobre o roteamento de requisições no ASP.NET MVC, Escolha uma: uma URI de uma requisição é decomposta em sessões que permitem acessar a localização física da página onde está a implementação do Controller. O HTTP handler irá acessar um objeto Controller armazenado em um pool de objetos instanciados e acessar o método correspondente à ação requisitada. O attributrouting permite o roteamento de uma requisição diretamente par o atributo do Controller, ao invés de rotear ações em métodos. É possível criarmos rotas customizadas e implementarmos HTML handlers específicos, podendo, inclusive, remover as rotas padrões.
Sobre os Controllers no ASP.NET MVC, podemos dizer que Escolha uma: é necessário implementarmos um Controller para cada opção do menu para garantirmos o princípio da Separation of Concerns. um método de ação de um Controller deve retornar uma View renderizada com os dados do modelo. os métodos dos Controllers devem ter o mesmo nome da ação. Controllers são stateless.
São melhores práticas no desenvolvimento de aplicações com Ruby on Rails, EXCETO: Escolha uma: Manter o modelo gordo e o controller magro Manter a lógica do negócio sempre no Controller A View deve ter a menor quantidade de código possível. Deve-se usar Helpers extensivamente na construção de Views.
A Figura exige a arquitetura do Ruby on Rails. Sobre os componentes dessa arquitetura, é INCORRETO afirmar que Escolha uma O Dispatcher é responsável pelo roteamento da requisições HTTP. Os HTTP Helpers são implementados extendendo-se a classe AcioView Classes Active Record são responsáveis pelo mapeamento objeto-relacional. O Action Pack abriga códigos dos Controllers e das Views.
São convenções do Rails que permitem a implementação do princípio de programação DRY (“don’t repeat yourself!”), EXCETO: Escolha uma: Usar escopo para definir regras de roteamento. Gear automaticamente getters e setters a partir de propriedades da classe do modelo e do arquivo de migração. Utilização de templates para construção de Views. Utilização de namespaces para definir rotas.
São componentes do Django, EXCETO: Escolha uma: Controller View Dispatcher Template.
O ambiente de desenvolvimento do Python onde o Django é executado possui diversos apps que auxiliam na construção de um ambiente de desenvolvimento consistente, que não seja alterado por variáveis externas ao projeto. São exemplos de aplicações que podem ajudar a compor o ambiente de desenvolvimento para o Django, EXCETO: Escolha uma: O virtualenv é um app que perite a criação de isolamento do projeto em relação aos demais projetos instalados na plataforma. Para se utilizar um banco de dados no Django é necessário adicionar este banco no arquivo requerements.txt O pip faz controle de versão e [e capaz de instalar módulos baseado em um arquivo de requisitos. O Django já vem com um web server de teste que pode ser utilizado no ambiente de desenvolvimento, bastando para isso executar o arquivo django-admin ou manage.py.
Baseado na matéria sobre modelos e na documentação sobre tipos de campos do Django, disponível em https://docs.djangoproject.com/en/1.8/ref/models/fields/, o código irá produzir : Um campo de texto para digitação livre pelo usuário e com regras de validação baseadas na lista ESTADO_CIVIL_CHOICES. Um campo de seleção no estilo ComboBox com as opções baseadas na lista ESTADO_CIVIL_CHOICES e o valor default igual a Solteiro. Um campo do tipo ListBox com as opções baseadas na lista ESTADO_CIVIL_CHOICES e o duas opções visíveis na tela, enquanto as outras opções são acessíveis por barra de rolagem. Um campo do tipo RadioButton com as opções baseadas na lista ESTADO_CIVIL_CHOICES e o valor default igual a Solteiro.
Considere o código de uma View a seguir: Sobre Class Based Views (CBV) é INCORRETO afirmar que: Escolha uma: O argumento request recebe a url da requisição HTTP, e possui métodos para processamento dos parâmetros dessa requisição. O argumento *args é preenchido com campos não nomeados da url, enquanto o argumento **kargs recebe os argumentos nomeados da url da requisição. O método get da view recebe e processa requisições HTTP com ações GET, POST, PUT, DELETE e HEAD. É possível usar comando como o request.GET.get(arg) para fazer parsing na url da requisição e customizar o mapeamento dos argumentos.
Segundo COULOURIS, George; DOLLIMORE, Jean; KINDBERG, Tim; BLAIR, Gordon. Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto, 5ª Edição, Bookman, 2013, o Middleware Escolha uma: mascara as diferenças entre as plataformas e fornecem APIs para desenvolvedores de aplicações. Fornece padrões de interface com o usuário para construção de uma experiência consistente. Fornece um conjunto de drivers de dispositivo de entrada e saída para construção de software independente de plataforma. Fornece Infraestrutura como Serviço (IaaS) para a construção de arquiteturas seguras e escaláveis.
Segundo Iwan Vosloo e Derrick G. Kourie (2008). Server-centric Web frameworks: An overview. ACM Comput. Surv. 40, 2, Article 4 (May 2008), 33 pages. DOI=10.1145/1348246.1348247, o requisito funcional de apresentação está relacionado com Escolha uma: a usabilidade da API apresentada aos desenvolvedores da aplicação. as ferramentas utilizadas pelo desenvolvedor para tratar dados de formulário em uma requisição HTTP. as atribuições das views no MVC, no que diz respeito à renderização de páginas para o usuário. a estruturação dos links de uma página em um modelo de navegação da aplicação, incluindo o projeto das URLs.
Segundo a documentação de referência do Spring Framework 4.2 (http://docs.spring.io/spring/docs/4.2.0.BUILD-SNAPSHOT/spring-framework-reference/htmlsingle/): Escolha uma: Os metadados de configuração de um Contêiner de inversão de controle do Spring (IoC container) devem ser escritos exclusivamente no formado XML. O módulo de programação orientada a aspectos, spring-aspects, do Spring é uma implementação completa do AspectJ. Não é possível se fazer a integração direta com outros frameworks de persistência Java como o Hibernate. O Contêiner de inversão de controle do Spring (IoC container) é responsável por instanciar, configurar e montar beans, a partir de metadados de configuração.
Baseado no Roteiro ASP.NET MVC e Entity framework disponibilizado com o título Desenvolvimento com ASP. NET MVC e C#, podemos dizer que Escolha uma: O processo de Scaffolding do ASP.NET Web Application no Visual Studio configura automaticamente o banco de dados, não sendo necessário editar o arquivo Web.config. Após selecionarmos a opção Add -> MVC 5 Controller with views, using Entity Framework, a partir do nome do Controller o Visual Studio consegue mapear automaticamente o modelo correspondente, sem a necessidade de selecioná-lo. Após criarmos um projeto ASP.NET Web Application no Visual Studio e selecionarmos MVC, é possível criarmos um modelo básico apenas utilizando o mouse sobre a pasta Models e selecionando Add -> Class. Após selecionarmos a opção Add -> MVC 5 Controller with views, using Entity Framework, devemos descrever quais as operações CRUD que desejamos implementar para que o Visual Studio crie uma view para cada modelo.
Report abuse Terms of use
We use cookies to personalize your experience. If you continue browsing you will be accepting its use. More information.