Entelagem

INFO
STADISTICS
RECORDS
Title of test:
Entelagem

Description:
Anac MMA célula

Author:
Hugo stieglitz
(Other tests from this author)

Creation Date:
11/02/2019

Category:
Others
Click 'LIKE' to follow the bests test of daypo at facebook
Last comments
No comments about this test.
Content:
Fibras orgânicas incluem: Algodão Linho Fibra de vidro Fibra termo retrátil.
São fibras termo-retráteis, exceto: Poliamida (nylon) Fibra de acrílico (orlon) Fibra de poliéster (Dácron) Linho (fibra orgânica).
A qualidade e resistência dos tecidos, fitas, cordéis e linhas são determinadas: Pelo limite da velocidade da aeronave e pressão por pé quadrado da asa Pelo limite que a estrutura da aeronave impõe Pelo limite de atuação da pressão atmosférica e as condições de intempérie Pelo limite de altitude que a aeronave será imposta .
É a direção dos fios ao longo do comprimento do tecido: Urdidura Pontas do urdimento Trama Prega.
Pontas dos fios ao longo do comprimento: Urdidura Pontas do urdimento Trama Prega.
A direção dos fios através da largura do tecido: Urdidura Pontas do urdimento Trama Prega.
Número de fios por polegada na urdidura ou trama: Viés Pontas do urdimento Count Prega.
Número de jardas feitas com linha: Viés Pontas do urdimento Count Prega.
Um corte feito diagonalmente na urdidura ou trama: Viés Pontas do urdimento Count Prega.
Processo de amaciar o tecido através de tratamento térmico: Acetinar Mercerizar Engomar Picotar.
Processo de banho do fio de algodão ou tecido, em solução quente de soda cáustica, para encolhimento do material e aquisição de maior resistência e brilho: Acetinar Mercerizar Engomar Picotar.
Ato de colocar goma nos tecidos e remover dobras: Acetinar Mercerizar Engomar Picotar.
Arremate feito no bordo do tecido, por máquinas ou tesoura, numa série contínua V: Acetinar Mercerizar Engomar Picotar.
A borda do tecido para evitar desfiamento: Viés Pontas do urdimento Ourela Prega.
O tecido de algodão mais utilizados para aeronaves é: Tipo A mercerizado, 4-OZ Tipo B engomado, 3-OZ Tipo K mercerizado, 7-OZ Tipo S engomado, 9-OZ.
No tecido de algodão tipo "A" mercerizado, seu mínimo de resistência a tensão na largura da urdidura e da trama é de: 80 lbs/pol 84 lbs/pol 70lbs/pol 65 lbs/pol.
Em referência ao peso, resistência e fios por polegada que são produzidos, os tecidos de linho não alvejados são praticamente idênticos ao: Algodão tipo A Fibra de vidro Poliéster Poliamida.
Fita de acabamento colada com dope sobre cada nervura ou junção ponteada para prover fino acabamento: Fita de superfície Fita de reforço (cadarço) Linha de costura Cordéis de amarração de nervuras.
Para que as fitas de superfície sejam aplicadas sobre o bordo de fuga das superfícies de comando e aerofólios, ela precisa ter no mínimo: 3 polegadas 5 polegadas 6 polegadas 2 polegadas.
Dope é: Cola que dá resistência ao tecido Produto para a acetinação Produto que auxilia na mercerização do tecido Goma aplicada no tecido para remover dobras.
É usado sobre as nervuras entre o tecido da cobertura, prendendo-o para prevenir o rasgo: Fita de reforço (cadarço) Fita de superfície (fita de acabamento) Cordéis de amarração das nervuras Linha de costura.
É feita através de torções para a esquerda ou para direita e deve sempre ser levemente encerada: Fita de reforço (cadarço) Fita de superfície (fita de acabamento) Cordéis de amarração das nervuras Linha de costura.
Z-Twist e S-Twist são torções nas linhas de costura, respectivamente: Linha torcida para esquerda e Linha torcida para direita Linha torcida para direita e Linha torcida para esquerda As duas Linhas torcidas para esquerda As duas Linhas torcidas para direita.
A cera não deve exceder o peso do cordel de acabamento em: 20% 40% 30% 10%.
Utilizados para fixar os tecidos nas nervuras: Fita de reforço (cadarço) Fita de superfície (fita de acabamento) Cordéis de amarração das nervuras Linha de costura.
Uma emenda consiste: Numa série de pontos, unindo duas ou mais peças de material Numa série de laços, unindo duas ou mais peças de material Numa série de alinhavos, unindo duas ou mais peças de material Numa série de seguimentos, unindo duas ou mais peças de material.
São características que uma emenda deve apresentar: Resistência e elasticidade Durabilidade e boa aparência Todas anteriores estão corretas Todas anteriores estão erradas.
Nas emendas costuradas em máquinas, a bainha deve ser do tipo: Dobrada ou francesa Sobreposta ou inglesa Entrelaçada ou francesa Pressuposta ou inglesa .
Esta emenda é satisfatória quando são unidas a ourela e a parte picotada: Plana sobreposta Plana de super posição Alinhada e trançada Plana sob posta.
A costura a mão é necessária quando: Fechar a abertura final da entelagem Fechar a abertura inicial da entelagem Arremate do ponto médio da entelagem No quarto volto da entelagem.
Na preparação para costurar a mão nas asas de madeira, a entelagem pode ser tensionada por: Fita adesiva passada no bordo de fuga Percevejos Prego Selante.
Na preparação para costurar a mão nas asas de metal, a entelagem pode ser tensionada por: Fita adesiva passada no bordo de fuga Percevejos Prego Selante.
A costura a mão deverá ter um arremate em intervalos de: 6 polegadas 4 polegadas 7 polegadas 5 polegadas.
Após a costura a mão ser terminada, o alinhavo: Deve ser reforçado Deve ser removido Deve ser fixo Deve ser colado.
Emendas sempre deveram: Ser coberta por uma fita de borda Ser o mais saliente possível Ser arrematadas com uma costura alinhavo Não necessitam de boa aparência.
A seção de entalhe da fita de bordo serve: Para rasgar evitando a descolagem do comprimento total da fita Para descolar o comprimento total da fita durante a remoção Para reparar emendas mais facilmente.
Para a aplicação correta do tecido na superfície ser satisfatória, necessita-se principalmente: Boa aparência e resistência Durabilidade e elasticidade Impermeabilidade e transparência .
Todas as partes da estrutura que forem entrar em contato com o tecido impermeabilizado com dope devem ser tratados com, exceto: Uma camada de proteção com papel laminado Tinta impermeabilizante Fita de celulose Fitas de bordo.
Partes da estrutura que tenham bordas cortantes ou cabeças de parafusos que podem desgastar o revestimento ao atritar devem: Ser limadas ou desbastadas Cobertas com tiras de tecido impermeável Devem ser usada buchas de alívio de stress Deve se mudar o ponto de amarração o colagem do tecido.
Para amarrar as seções das nervuras, é utilizado: Fita de reforço Fita de superfície Linha de costura Prendedores especiais.
Os métodos aceitáveis de revestimento das asas são: Por cobertura ou por envelope Por envelope ou por fronha Por sobreposição e envelope Por fronha ou sobreposição.
São costuradas larguras do tecido, cortadas em dimensões específicas e costuradas para formar uma fronha, que possa ser puxado sobre a estrutura, este método de revestimento é: Superposição Sub posição Cobetrura Envelope.
As larguras do tecido de comprimento suficiente são unidas por costura, para formar um lençol sobre as superfícies da estrutura. Os bordos de fuga e de saída devem ser unidos por pontos do tipo baseball. Esse método de revestimento é o: Superposição Sub posição Cobetrura Envelope.
Quando este método de revestimento de asas é utilizado, a extremidade do tecido deve estender-se 3 polegadas além da nervura adjacente: Superposição Sub posição Cobetrura Envelope.
Neste método de revestimento, sempre que possível, a emenda no sentido da envergadura deverá ser colocada ao longo do bordo de fuga: Superposição e envelope Cobertura e Envelope Cobetrura Envelope.
Cada vez que o cordel envolver a nervura, será dado um nó, e próximo ponto será feito à uma especificada distância. Esse nó é chamado de: Lardagem Arremate Alinhavo Costura baseball.
Para evitar uma super tensão na lardagem, são especificadas distâncias para os pontos, para serem especificadas essas distâncias elas irão depender: Da velocidade da aeronave Do peso d aeronave Do tipo de tecido entelado Da qualidade das fitas de superfície.
Para aeronaves com limite de velocidade acima de 250 m.p.h, são recomendados: Tiras anti-rasgo Tiras de reforço Fixação entre nervuras Emendas costuradas.
Todas as superfícies de tecido do revestimento das asas e superfícies de controle devem ser presas: Nas longarinas por cordéis (fios de lardagem) Nas nervuras por cordéis (fios de lardagem) Nas longarinas por fitas de superfície Nas nervuras por fitas de superfície.
Pontas individuais do cordel durante a amarração, (na lardagem de uma volta) deverão ser unidas pelo nó: Enlaçado (splice) Nó seine modificado Arremate Quadrado comum.
O nó que não deve ser usado para unir pedaços de cordéis por ter fraca resistência ao deslizamento é o: Enlaçado (splice) Nó seine modificado Arremate Quadrado comum.
A amarração da nervura (lardagem) é iniciada geralmente: No bordo de ataque em direção ao bordo de fuga No bordo de fuga em direção ao bordo de ataque Da cambra superior em direção a cambra inferior Da cambra inferior em direção a cambra superior.
Na lardagem, a distância entre o primeiro nó e o segundo, deverá ser: A metade do espaço normal entre os pontos O dobro do espaço normal entre os pontos 1/4 do espaço normal entre os pontos 1/16 do espaço normal entre os pontos.
A lardagem dupla, quando feita para obter maior resistência em relação à simples, utiliza o nó: Enlaçado (splice) Nó seine modificado Arremate TIE-OFF.
O nó padrão para amarração de nervuras é o nó: Enlaçado (splice) Nó seine modificado Arremate TIE-OFF.
Durante a lardagem dupla todos os nós, com exceção do primeiro, devem ser: Enlaçado (splice) Nó seine modificado Arremate TIE-OFF.
Durante a lardagem, um nó que não deve ser usado como último ponto por apresentar possibilidade de tensão inadequada é: Enlaçado (splice) Nó seine Arremate TIE-OFF.
Os métodos aceitáveis de revestimento da fuselagem são: Por cobertura ou por envelope Por envelope ou por fronha Por sobreposição e envelope Por fronha ou sobreposição.
Método de revestimento da fuselagem em que todas as costuras são feitas a mão, com exceção de uma costura final longitudinal, ao longo do centro ventral da fuselagem: Superposição Sub posição Cobetrura Envelope.
O interior das seções cobertas é ventilado e drenado para prevenir o acúmulo de umidade, orifícios de ventilação e drenagem são necessários, munidos com bordas reforçadas que podem ser de, exceto: Plástico Alumínio Latão Madeira.
Report abuse Terms of use
We use cookies to personalize your experience. If you continue browsing you will be accepting its use. More information.