SAP CO PT

INFO
STADISTICS
RECORDS
Title of test:
SAP CO PT

Description:
SAP CO Simulado

Author:
Pandelobo
(Other tests from this author)

Creation Date:
11/05/2016

Category:
Computers
Click 'LIKE' to follow the bests test of daypo at facebook
Last comments
No comments about this test.
Content:
Em um processo “Order-to-pay” (Processo de Compra), a contabilização pode ocorrer em quais momentos? Somente 2 respostas estão corretas. Requisição de Compras Pedido de Compras Entrada da mercadoria Fatura Pagamento.
Com relação a “Área de Contabilidade de Custos”. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. Pode conter uma ou mais Empresas com diferentes planos de contas. As alocações de custo ocorrem somente entre objetos que pertencem à mesma área de contabilidade de custos. Balanços podem ser gerados na Área de Contabilidade de Custos, a partir dos objetos de CO. A Variante de Exercício na Empresa, e na Área de Contabilidade de Custo devem ser iguais. A ativação de componentes na Área de Contabilidade de Custo é dependente do exercício fiscal.
Em um processo “Order-to-cash” (Processo de Vendas), em quais momentos são gerados documentos na Contabilidade Financeira? Somente 2 respostas estão corretas. Criação da Ordem do Cliente Remessa de mercadorias Picking Faturamento Entrada de Mercadorias.
Em um processo de compra para consumo, a atualização do compromisso pode ocorrer em quais momentos? Somente 2 respostas estão corretas. Requisição de Compras Pedido de Compras Entrada da mercadoria Fatura Pagamento.
Com relação a “Administração de Compromissos”. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Pode ser ativado na Área de Contabilidade de Custos. Não pode ser atualizado no centro de custo. Pode comprometer o orçamento. São atualizados com base na data do pedido de compras. Podem ser atualizados em itens de ordem de vendas, em cenários de MTO com Controlling..
Com relação à “Lógica de Classificação Contábil”. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. Se for informado um centro de custo e uma ordem real, o centro de custo recebe o lançamento real e a ordem interna o lançamento estatístico. Se for informado um centro de custo e uma ordem real, o centro de custo recebe o lançamento estatístico e a ordem interna o lançamento real. Se for informado um centro de custo e uma ordem interna estatística, o centro de custo recebe o lançamento real e a ordem interna o lançamento estatístico. Se for informado um centro de custo e uma ordem interna estatística, o centro de custo recebe o lançamento estatístico e a ordem interna o lançamento real. Se for informada somente uma ordem interna estatística, o centro de custo recebe o lançamento real e a ordem interna o lançamento estatístico.
Com relação à “Criação Automática da Classe de Custo”. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Deve ser ativado no Plano de Contas em FI, e deve ser definido o intervalo de classes de custo, no Customizing da classe de custo. Somente classes de custo primárias podem ser criadas automaticamente. A descrição da classe de custo primária é obtida a partir do cadastro da conta contábil, e a descrição da classe de custo secundária, da categoria da classe de custo definida no Customizing da classe de custo. No Customizing da classe de custo, são definidos os intervalos de classe de custo e as categorias da classe de custo. No Customizing da classe de custo, são definidos apenas os intervalos de classe de custo.
Com relação às “Ajudas de Lançamento”. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. A “Classificação Contábil Pré-definida” tem prioridade sobre a “Classificação Contábil automática”. A “Classificação Contábil Pré-definida” é feita no nível da Empresa. A “Classificação Contábil automática” é feita no Customizing, e tem prioridade sobre “Classificação Contábil Pré-definida”. A “Validação” tem prioridade sobre a “Substituição”. A “Classificação Contábil automática” é feita no castro da classe de custo, no nível da Área de Contabilidade de Custos.
Com relação à “Transferência Manual de Custos” e “Transferência de Partidas Individuais”. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. A “Transferência Manual de Custos” e “Transferência de Partidas Individuais” são utilizadas somente para transferir custos em classes de custo primárias. A “Transferência Manual de Custos” e “Transferência de Partidas Individuais” geram uma alocação no emissor (Crédito no registro de totais). A “Transferência Manual de Custos” faz um link com o documento de FI. Uma vez executada a “Transferência de Partidas Individuais”, o documento original em FI, não pode ser mais estornado, a menos que seja estornada a transferência em CO.
Com relação a “Alocação Manual de Custo”. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. É utilizada somente para transferir custos em classes de custo primárias. Gera uma alocação no emissor (Crédito no registro de totais). Faz um link com o documento de FI. Uma vez executada a Alocação Manual, o documento original em FI não pode ser mais estornado, a menos que seja estornada a transferência em CO. Não permite alocações em classes de custo categoria 43.
Com relação ao “Encerramento do Período” em centros de custo. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Somente Centros de Custo e os Processos Empresariais podem ser emissores em uma “Distribuição” e “Rateio”. A “Transferência Periódica” atualiza o relatório “Lista expandida por Parceiro”. A Iteratividade pode ser ativada somente no Rateio. O Esquema de alocação pode ser utilizado somente no Rateio. Em um Rateio, o saldo de contas primárias e secundárias, é sempre alocado em uma classe de custo secundária, categoria 42.
Com relação ao “Encerramento do Período” em centros de custo. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Distribuição e Transferência periódica alocam custos somente em classes primárias. Rateio aloca custos de contas primárias e secundárias. O Esquema de alocação permite definir quais classes de custo secundárias devem ser utilizadas no rateio, por intervalo de contas. Ordens Internas e Elementos PEP podem ser emissores na Distribuição e Rateio. A Iteratividade é ativada por segmento.
Com relação às ferramentas utilizadas no “Encerramento do Período em Centros de Custo”. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. Em um ciclo com iteratividade, segmentos individuais não devem ser estornados. Somente a Distribuição e o Rateio, podem utilizar índices estatísticos. Ciclos não podem ser executados em paralelo. A Iteratividade é definida no cabeçalho do ciclo.
Com relação à “Delimitação de Custos”. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. O processo “Teórico=Real” é definido através de um esquema de cálculo, com base, sobretaxa e crédito. As Classes de Custo utilizadas nos processos de delimitação devem ser primárias categoria 3 ou 4. Objeto de Crédito deve ser um centro de custo ou uma ordem interna. O Esquema de Cálculo deve ser atribuído no dado mestre do centro de custo. O Esquema de Cálculo é atribuído a uma Área de Contabilidade em função do Exercício e Período, e os percentuais podem ser definidos por Empresa ou Divisão, em função da chave de Dependência.
Com relação ao “Tipo de Ordem”. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Define o “Perfil de Apropriação de Custos” proposto utilizado na norma de apropriação. Define o “Esquema de Alocação” proposto utilizado na norma de apropriação. Define o “Esquema Original” proposto utilizado na norma de apropriação. Define o “Esquema de Status do Usuário”. Define se são permitidos o “Lançamento de Receitas’ e “Administração de Compromissos”, na ordem.
Com relação ao “Esquema de Alocação”. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Pode ser atribuído a um Tipo de Ordem. Pode ser atribuído a um Perfil de Apropriação. Define as Classes de Custo utilizadas na apropriação de ordens. Permite que determinados intervalos de classes de custo sejam mantidos na apropriação, e outros intervalos sejam agrupados em classes de custo de apropriação, em função do objeto receptor. Permite que sejam criadas normas de apropriação distintas, por intervalos de classes de custo.
Com relação ao “Esquema Original”, podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. Pode ser atribuído a um Tipo de Ordem. Pode ser atribuído a um Perfil de Apropriação. Define as Classes de Custo utilizadas na apropriação de custos. Permite que determinados intervalos de classes de custo sejam mantidos na apropriação, e outros intervalos sejam agrupados em classes de custo de apropriação, em função do objeto receptor. Permite que sejam criadas normas de apropriação distintas, por intervalos de classes de custo.
Com relação ao “Esquema para a Demonstração de Resultado”, podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. Pode ser atribuído a um Tipo de Ordem. Pode ser atribuído a um Perfil de Apropriação. Define as Classes de Custo utilizadas na apropriação de custos. Permite que determinados intervalos de classes de custo sejam mantidos na apropriação, e outros intervalos sejam agrupados em classes de custo de apropriação, em função do objeto receptor. Permite que os valores de classes de custo sejam atribuídos a campos de valor.
Com relação ao esquema de cálculo, utilizado na “Sobretaxa de Custos Indiretos”. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. O Esquema de Cálculo consiste de Base, Sobretaxa e Crédito. Nas Bases são definidas as classes de custo e grupos de origem utilizados no cálculo da Sobretaxa. As cotas de custos indiretos podem ser definidas com base no percentual ou na quantidade. A Classe de Custo utilizada no Crédito pode ser primária ou secundária. Não podem ser definidos, em função de uma chave de dependência, percentuais em função de Empresas, Chaves de Sobretaxa, ou Tipos de Ordens.
Com relação ao “Perfil do Orçamento”. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. Não pode ser atribuído a um tipo de ordem. É utilizado no planejamento global. Permite a ativação do controle de disponibilidade. É utilizado como chave na definição dos limites de tolerância.
Com relação a “Lógica de Lançamento”. Quais objetos podem administrar receitas reais? Somente 3 respostas estão corretas. Centro de Custo. Ordem Interna. Centro de Lucro. Objeto de Resultado. Item da Ordem de Vendas.
Com relação a “Layout da Ordem”, podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Pode ser atribuído ao tipo de ordem. Define os campos obrigatórios no cadastro da ordem. Define os nomes das Pastas (Fichas), e a seqüência de exibição. Define os grupos de campos (Quadros), e a seqüência de exibição. Permite que campos da ordem, sejam preenchidos automaticamente.
Com relação ao “Esquema de Status”. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. Pode ser atribuído ao tipo de ordem. É obrigatório no tipo de ordem. Define os nomes das Pastas (Fichas), e a seqüência de exibição. Define quais operações são permitidas na ordem. Não pode ser utilizado com o status do sistema.
Com relação a “Administração de Compromissos”. Para que os valores estejam disponíveis, nas Ordens Internas, devemos: Somente 2 respostas estão corretas. Ativar a Administração de Compromissos na Área de Contabilidade de Custos. Ativar a administração de compromissos no dado mestre do centro de custo. Ativar a administração de compromissos no dado mestre da Ordem Interna. Ativar a administração de compromissos no Tipo de Ordem. Atribuir o perfil de orçamento no Tipo de Ordem.
Com relação à seqüência de acesso, para a “Determinação da Estrutura Quantitativa”. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. A escolha da Lista Técnica e Roteiro, no momento do cálculo (Processamento Individual), têm prioridade sobre a Lista Técnica e Roteiro definidos no cadastro do material. Na “Execução do Cálculo de Custo” (Processamento Coletivo), o usuário pode escolher a Lista Técnica e o Roteiro, utilizados no cálculo de custo. A “Determinação da Estrutura Quantitativa”, atribuída a Variante de Cálculo de Custo, têm prioridade sobre a Lista Técnica e Roteiro, definidos no cadastro do material. A Lista Técnica e Roteiro, definidos no cadastro do material, têm prioridade sobre a “Determinação da Estrutura Quantitativa”, atribuída a Variante de Cálculo de Custo. O sistema sempre utiliza a Lista Técnica e Roteiro da produção.
Com relação a “Execução do Cálculo de Custo” (Processamento Coletivo). Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Pode ser utilizado para calcular custos planejados em diferentes Empresas simultaneamente. Pode ser utilizado para calcular custos planejados em diferentes Centros simultaneamente. Permite a execução do cálculo de custo, por níveis de cálculo. Permite que os ”Logs” sejam armazenados, por nível de cálculo de custo. Não permite a explosão da estrutura quantitativa.
Com relação ao “Esquema de Cálculo”. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. O grupo de Origem pode ser utilizado na chave de sobretaxa. O Grupo de Origem pode ser utilizado nas bases de cálculo. Na chave de Crédito é definida a classe de custo secundária categoria 41, e um objeto de crédito (Centro de Custo, Ordem Interna ou um Processo Empresarial). A Chave de Sobretaxa é definida no cadastro do material. A Variante de Cálculo de Custo permite que sejam atribuídos diferentes esquemas de cálculos para Produtos Acabados e Matérias Primas.
Com relação ao “Processo de Atualização de Preços”. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. Somente o preço Standard pode ser atualizado, através do cálculo de custo. No processo de Marcação, o valor do preço Standard é atualizado no cadastro do material, e o estoque é reavaliado. A atualização do preço standard é feita através de lançamentos manuais na Contabilidade Financeira. A Marcação e Liberação são processos utilizados na atualização do custo Standard. Na Liberação, caso haja quantidades em estoque, o sistema gera um lançamento na Contabilidade Financeira.
Na “Variante de Cálculo de Custo”, são definidos quais atributos? Somente 3 respostas estão corretas. Se os custos aditivos são considerados no cálculo de custo. Esquema de cálculo. Determinação da Estrutura Quantitativa. Controle de Transferência. Chave de Sobretaxa.
Na “Variante de avaliação”, são definidos quais atributos? Somente 4 respostas estão corretas. Estratégias para avaliação da Subcontratação e Processamento Externo. Avaliação de Atividades e Processos. Esquema de Cálculo de Custo para Materiais Acabados e Semi-acabados. Esquema de Cálculo de Custo para Matérias-Primas. Controle de Transferência.
Quais custos para uma matéria- prima podem ser lidos através da variante de avaliação, utilizando o registro info de compras? Somente 2 respostas estão corretas. Preço Planejado 1 Standard Preço da última cotação. Preço do último pedido via tabela de condições. Tarifa Planejada do último período.
Com relação ao “Cadastro do Material”. Quais campos são importantes para o cálculo de custo? Somente 2 respostas estão corretas. Grupo de Custos Indiretos Chave de sobretaxa (Chave de custos suplementares) Grupo de Origem Centro de trabalho Tempo standard da operação.
Com relação ao “Esquema de Elementos”. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Todos os custos, em elementos de custo, devem “subir” para produtos acabados. Todos os elementos de custo são utilizados na cálculo do custo standard. O esquema de elementos pode conter no máximo 20 elementos de custo, caso haja separação entre custos Fixos e Variáveis. A atribuição do esquema de elementos depende do exercício fiscal, da empresa, do centro e da variante de cálculo de custo. Os elementos de custo são criados com base em intervalos de classe de custo.
Em um processo “Order-To-Cash” (Processo de Venda), de mercadorias do estoque, em um cenário sem Controlling na ordem de vendas. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Na “Remessa” são gerados documentos na “Contabilidade Financeira”, na “Contabilidade de Centros de Lucro” e na “Demonstração de Resultado baseada em Cálculo de Custo (campos de valor)”. O “Fluxo de Documentos” permite o registrar o histórico e o status dos documentos, relacionados ao processo de vendas. Na “Remessa” do material são gerados documentos na “Contabilidade Financeira”, na “Contabilidade de Centros de Lucro” e na “Demonstração de Resultado baseada em Contas (Classe de Custo)”. Na “Fatura” são gerados documentos na “Contabilidade Financeira,” na “Contabilidade de Centros de Lucro” e na “Demonstração de Resultado”. O documento na “Demonstração de Resultado” é gerado na liquidação da ordem do cliente.
Em um processo “Order-To-Cash” (Processo de Venda), de mercadorias do estoque, em um cenário com Controlling na ordem de vendas. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Na “Remessa” são gerados documentos na “Contabilidade Financeira”, na “Contabilidade de Centros de Lucro” e na “Demonstração de Resultado baseada em Cálculo de Custo (campos de valor)”. O “Fluxo de Documentos” permite registrar o histórico e o status dos documentos, relacionados ao processo de vendas. Na “Remessa” do material são gerados documentos na “Contabilidade Financeira”, na “Contabilidade de Centros de Lucro” e no Item da Ordem de Vendas. Na “Fatura” são gerados documentos na “Contabilidade Financeira”, na “Contabilidade de Centros de Lucro” e na “Demonstração de Resultado”. Na liquidação da ordem do cliente, são gerado os documentos na Demonstração de Resultado.
Com relação ao “Estoque não Avaliado” na ordem do cliente. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. O Item da Ordem de Vendas, não é um objeto de custo. O Fluxo de Valores e Quantidades ocorrem simultaneamente. A compra de materiais para estoque, registra um consumo na ordem de vendas. A SAP recomenda estoque avaliado na ordem do cliente.
Com relação ao “Tipo de Necessidade”. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. O Tipo de Necessidade determina a Classe de Necessidade. O Tipo de Necessidade determina a categoria de classificação contábil. Os dados de controlling são determinados no Tipo de Necessidade. O Tipo de Necessidade pode ser determinado a partir dos dados da ordem do cliente.
Com relação a “Apropriação de Custos” na Ordem de Produção, em um cenário de Controle por Ordem. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. O Desvio e o WIP (Material em Processo) podem ser calculados simultaneamente no encerramento do período. Os desvios podem ser apropriados na Demonstração de Resultados, através de categoria de desvio. Os desvios são apropriados para a Contabilidade Financeira e Contabilidade de Centros de Lucro. A apropriação do WIP zera o saldo da ordem. Os desvios só podem ser calculados quando a ordem estiver com o status “Encerramento Técnico” ou “Fornecimento Concluído”.
Com relação a “Apropriação de Custos” no Coletor de custo do produto, em um cenário de Controle por Período. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Os Desvios e o WIP (Material em Processo) podem ser calculados simultaneamente no encerramento do período. Os desvios podem ser apropriados na Demonstração de Resultados, abertos por categoria de desvio. Os desvios são apropriados para a Contabilidade Financeira e Contabilidade de Centros de Lucro. A apropriação do WIP zera o saldo do coletor. Os desvios só podem ser calculados quando o coletor estiver com o status “Encerramento Técnico” ou “Fornecimento Concluído”.
Com relação ao “WIP” (Material em Processo) na Ordem de Produção, em um cenário de Controle por Ordem. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. O cálculo do WIP e os Desvios podem ser calculados simultaneamente no encerramento do período. O WIP é calculado com base nos valores teóricos da ordem. Os valores do WIP são apropriados somente para a Contabilidade Financeira e Contabilidade de Centros de Lucro. A apropriação do WIP credita a ordem de produção. O WIP é calculado somente quando a ordem estiver com o status “Encerramento Técnico” ou “Fornecimento Concluído”.
Com relação ao “WIP” (Material em Processo) no Coletor de Custo do Produto em um cenário de Controle por Período. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. O cálculo do WIP e os Desvios podem ser cálculos simultaneamente no encerramento do período. O WIP é calculado com base nos valores teóricos. Os valores do WIP são apropriados somente para a Contabilidade Financeira e Contabilidade de Centros de Lucro. A apropriação do WIP credita o coletor de custo do produto. O WIP é calculado somente quando a ordem estiver com o status “Encerramento Técnico” ou “Fornecimento Concluído”.
Com relação ao cenário “MTO” (Produção sob encomenda), com Controlling na ordem de vendas. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Os valores da Determinação do Resultado são apropriados na Demonstração de Resultados. Os valores calculados na Determinação do Resultado são apresentados nos relatórios de WIP, em classes de custo secundárias categoria 31. O WIP é sempre calculado com base nos valores teóricos da ordem. Os valores do WIP são apropriados somente para a Contabilidade Financeira e Contabilidade de Centros de Lucro. Os desvios podem ser apropriados na Contabilidade de Centros de Lucro, abertos por categoria de desvio.
Com relação ao cenário “MTO” (Produção sob encomenda), com Controlling na ordem de vendas. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. A Chave de Determinação de Resultado é obrigatória, para a Determinação do Resultado. A apropriação da determinação do resultado, sempre zera o saldo da ordem do cliente. A Chave de Determinação de Resultado, vêem como proposta a partir do tipo de necessidade. A Chave de Determinação de Resultado, vêem como proposta a partir da classe de necessidade. A Chave de Determinação de Resultado, vêem como proposta a partir da categoria de classificação contábil.
Com relação a “Categoria de Classificação Contábil”. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. Define em qual objeto de custo, os custos são lançados. Determina a chave de Determinação de Resultado. Propõe o Perfil de Apropriação Se o estoque da ordem do cliente, é avaliado ou não. Determina o código de estoque especial.
Com relação a “Classe de Necessidade”. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Define em qual objeto de custo, os custos são lançados. Determina a chave de Determinação de Resultado. Propõe o Perfil de Apropriação Se o estoque da ordem do cliente, é avaliado ou não. Determina o código de estoque especial.
Com relação ao “Tipo de Necessidade”. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. Pode ser alterado no item da ordem de vendas. Determina a chave de Determinação de Resultado Propõe o Perfil de Apropriação Se o estoque da ordem do cliente, é avaliado ou não. Determina a Classe de Necessidade.
Com relação ao cenário “MTO” (Produção sob encomenda), sem Controlling na ordem de vendas. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. O estoque da ordem do cliente deve ser avaliado. Na Remessa os custos são lançados no item da ordem de vendas. No Faturamento as receitas são lançadas no item da ordem de vendas. No Faturamento os custos e receitas são lançados na Demonstração de Resultado. Os custos e receitas são apropriados ao final do período, com base na Determinação de Resultado.
Com relação a “Determinação do Resultado” na ordem de vendas. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. O cálculo da Determinação de Resultado depende do status da ordem do cliente. Os valores calculados na Determinação do Resultado, e lançados na Contabilidade Financeira e Demonstração de Resultado, são sempre iguais. A Versão de Determinação de Resultado, define se os valores são transferidos para a Contabilidade Financeira. A Determinação do Resultado utiliza sempre os métodos proporcionais a custos ou receitas, por este motivo o planejamento é obrigatório. Os valores da Determinação do Resultado são transferidos para a Contabilidade Financeira, a partir de regras de contabilização, definidas no Customizing.
Com relação ao Gerenciamento de Resultados. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. A Desmonstração de Resultados permite analisar, em relatórios de pesquisa, o ROI dos Objetos de Resulado. Os valores lançados na Determinação do Resultado, são sempres reais e na contabilidade de centros de lucro, são sempres estatísticos. Processos de compras, produção e vendas, podem atualizar a contabilidade de centros de lucro. A Determinação do Resultado, sempre utiliza os campos de valor, em suas demostrações de resultado. As dimensões nos relatórios do centro de lucro, são contas e centros de lucro.
Com relação a Contabilidade de Centros de Lucro. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. As configurações do centro de lucro, são dependentes da Área de Contabilidade de Custos. As empresas, listadas no cadastro do centro de lucro, são provinientes da Área de Resultado. O Campo Segmento no cadastro do centro de lucro é obrigatório. Na contabilidade de centros de lucro, podem ser definidos preços internos de transferência. Na Demostração de Resultado, podem ser definidos preços internos de transferência, entre objetos de resultado.
Na Contabilidade Geral Nova, as seguintes afirmações são verdadeiras: Somente 2 respostas estão corretas. Os rateios e distribuições são sempre executados na Contabilidade de Custos. Podem ser gerados balanços, para centros de lucro e segmentos. O Campo Segmento no cadastro do centro de lucro é obrigatório. Podem ser utilizadas estruturas de balanço para a demostração de resultado, por centro de lucro. Os rateios podem ser feitos em contas secundárias.
Na Contabilidade Geral Nova, as seguintes afirmações são verdadeiras: Somente 2 respostas estão corretas. O Ledger de Reconciliação é opcional. Lançamentos de reconciliação, em função de alocações e rateios na Contabilidade de Custos, são atualizados em contas primárias, na Contabilidade Financeira. O Rateio na Contabilidade Financeira, deve utilizar sempre contas primárias. Lançamentos secundários, entre empresas, não podem ser reconciliados.
Com relação as atribuições, na contabiliade de Contabilidade de Centros de Lucro. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. No Cadastro do imobilizado, pode ser atribuído um centro de lucro. No Cadastro do imobilizado, pode ser atribuído um centro de custo. O centro de lucro atribuído na ordem de produção, é determinado através do cadastro do material. O centro de lucro atribuído na ordem de vendas, pode ser determinado por uma regra de substituição. Elementos PEPs não podem ser atribídos à um centro de lucro.
Com relação as lançamentos, na contabilidade de Contabilidade de Centros de Lucro. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. Em compras de material para consumo, a centro de lucro é derminado através do cadastro do material. Custos secundários, são lançados em contas primárias, na Contabilidade Geral Nova. Em processo de vendas, na remessa são atualizados os valores de CPV e Estoque, na Contabilidade de Centro de Lucro. Em processo de vendas, no faturamento são atualizados os valores de CPV e Estoque, na Contabilidade de Centro de Lucro. A criação da ordem de vendas, pode gerar valores estimados, na Contabilidade de Centros de Lucro.
Com relação ao “Monitor de Customizing” na Demonstração de Resultados. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Pode ser utilizado na criação Exits. Pode ser utilizada na análise da Avaliação Pode ser utilizada na análise da Derivação Pode ser utilizado para fornecer uma síntese das atribuições organizacionais. Pode ser utilizado para gerar mensagens, em derivações incorretas.
Com relação ao “Esquema da Demonstração de Resultado”. Podemos afirmar: Somente 3 respostas estão corretas. Define a atribuição de classes de custo a campos de valor. Pode ser atribuído ao perfil de apropriação. São utilizados nos esquemas de cálculo na Demonstração de Resultado. São utilizados em lançamentos a partir da Contabilidade Financeira. São utilizados para transferir os valores da estratificação de custo.
Com relação ao “Processo de Derivação” na Demonstração de Resultado. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. Tem como objetivo definir novos valores de características, em lançamentos para a Demonstração de Resultados. Permite acessar resultados de cálculos de custo, e armazená-los em campos de valor. Acesso a tabela e regra de derivação são exemplos de derivação. Sempre que a regra de derivação não obtém um valor para a característica, o sistema gera uma mensagem de erro.
Com relação a “Avaliação” na Demonstração de Resultado. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. Tem como objetivo definir valores de novas características em lançamentos para a Demonstração de Resultados. Permite acessar resultados de cálculos de custo, e armazená-los em campos de valor. Há três tipos de avaliação, acesso a tabela, regra de derivação, exit. Sempre que a avaliação não obtém um valor, o sistema gera uma mensagem de erro. Podem ser utilizados esquemas de cálculo, nas regras de avaliação.
Com relação a “Características e Campos de Valor” na Demonstração de Resultado. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. Objeto de resultado é a combinação de uma ou mais características. Objeto de resultado é a combinação de um ou mais campos de valor. Os montantes e quantidades analisados na Demonstração de Resultado ficam armazenados em campos de valor. Os montantes e quantidades analisados na Demonstração de Resultado ficam armazenados em características.
Com relação as “Características” na Demonstração de Resultado. Podemos afirmar: Somente 2 respostas estão corretas. Além das características fixas, podem ser atribuídas mais 50 características definidas pelo usuário. As características são definidas na Área de Contabilidade de Custo. Os valores de características são derivadas sempre de tabelas standards da SAP. As características fixas são obrigatórias em CO-PA.
Report abuse Terms of use
We use cookies to personalize your experience. If you continue browsing you will be accepting its use. More information.